Blog

Oco

oco

e há o oco?
o dentro do filamento,
o véu-rizoma do interno:
não é a borda

(e/terna)
que inventa o vazio?

língua

 

é preciso manejar bem a língua
para escrever um poema

{para alcançar o fundo}

[não do oco, mas do espaço
mágico produzido pelas bordas]

é preciso lamber as letras
e se sentir mordido por elas

é preciso abrir bem a boca
e mostrar a língua
e é justamente quando a língua
está bem presa, mordida pela palavra,
que ela pode deixar de ser
apenas músculo

sim, há papilas gustativas
para cada letra,
cada lambida no sentido.

[Imagem: Lenora de Barros, Poema, 1979.] 

 

Pessoal, orientei Michelle Aguilar no mestrado (UFMG) e ela escreveu uma excelente dissertação sobre a velhice. Vamos falar um pouco sobre essa pesquisa a partir de um artigo que publicamos juntos. Leiam antes da live para mandar suas questões e comentários. Vamos gostar de ouvi-las!

O artigo está disponível gratuitamente aqui:

https://drive.google.com/file/d/1OaTRfDnSzeVglvZfxWdXOC-4CneLGx-K/view?usp=sharing

velhcie

 

 

 

 

Livro novo

Reunimos, eu, Pedro Donizete e Pedro Teixeira, artigos provenientes do nosso PPG-Psicologia UFMG. Espero que gostem do resultado!

https://drive.google.com/file/d/1135hiHnoUR4X6MjrYeTftfm1xwgvPu-k/view?usp=sharing

Notícia boa! Estreio o projeto de extensão no Spotify! Por enquanto, é apenas o áudio de alguns vídeos para o formato podcast. O primeiro episódio que escolhi foi sobre o Sparagmós… uma das ideias que tive pra pensar a pulsão sexual de morte e o que é a realização de desejo em psicanálise. Espero que gostem! Se ouvirem, me digam o que acharam! Críticas & sugestões são sempre bem-vindas!

 

spotfy

https://open.spotify.com/show/2n69pPiAfUYYO4gVbHeb8z?si=ImCDkL32SI-s5s0891z7nQ